Projetos da URI e OAB encerraram mês da Mulher com palestra

Encerrando uma série de atividades alusivas ao Mês da Mulher, no dia 31 de março foi ministrada a palestra intitulada “Desafios do exercício de uma advocacia feminista no Brasil, voltada para mulheres em situação de vulnerabilidade”

O evento foi promovido pelo Grupo de Violência de Gênero, coordenado pela professora Lizete Dieguez Pieber (Curso de Psicologia URI), pelo Projeto de Extensão “O lugar dos corpos das mulheres na sociedade”, coordenado pela professora doutora Rosângela Angelin (Curso de Graduação em Direito e PPGD URI), pelo Projeto “Direitos de Personalidade na Atualidade”, coordenado pela professora mestre Luana Maíra Moura de Almeida (Curso de Direito URI) e pela Comissão da Mulher Advogada da OAB, subseção de Santo Ângelo/RS.

Para debater sobre esse tema, foram convidadas a professora mestre Thaís Kerber de Marco (professora do Curso de Direito da URI Santo Ângelo, egressa do PPGD dessa Instituição de Ensino Superior e advogada), mestre Gabrielle Scola Dutra (egressa do Curso de Direito e do Mestrado em Direito da URI Santo Ângelo e doutoranda na Unijuí) e Luzanídia Rodriguez da Veiga (graduada em Direito e advogada). Todas são vinculadas à Comissão da Mulher Advogada da OAB – subseção de Santo Ângelo/RS.

As palestrantes abordaram temas, perpassando por uma análise histórica, cultural e jurídica sobre a vulnerabilidade e a violência contra as mulheres, concedendo ênfase aos problemas e desafios enfrentados pela advocacia que adota um olhar feminista. As palestrantes reconhecem a importância das legislações protetivas às mulheres que são vítimas de violência, porém, apontaram a necessidade de práticas sociais e éticas de resistência e mudança cultural dentro da sociedade e no próprio exercício da advocacia, além de reflexões. Ao mesmo tempo, refletiram sobre casos judiciais e a importância da advocacia se apropriar mais sobre questões que envolvem as mulheres e suas vulnerabilidades, destacando que a advocacia feminista busca a igualdade de direitos dentro da sociedade, bem como dá ênfase num atendimento humanizado a situações de vítimas de violência.

Presentes no encontro, estudantes da URI (graduação em   Direito e Psicologia e pós-graduação em Direito), advogadas da OAB, integrantes da sociedade civil.