Alunas da Escola da URI conquistam medalhas na Olimpíada Nacional de Ciências 2020

 

A Escola de Educação Básica da URI Santo Ângelo participou, em 2020, da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) que integra o Programa Ciência na Escola, sendo uma realização de cinco Sociedades Científicas: a SBF (Sociedade Brasileira de Física), a ABQ (Associação Brasileira de Química), o Instituto Butantan, a Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). O evento resulta de convite do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) às Sociedades e se destina aos estudantes do Ensino Médio e do 8ª e 9º anos do Ensino Fundamental.

Devido à pandemia, as provas foram feitas no formato on-line, com mais de 2 milhões de alunos inscritos, divididas em diversas fases, sendo que a última fase foi realizada no dia 22 de janeiro deste ano.

Após ter participado de todas as etapas, as alunas Amarilis Wontroba Moscon (9º ano) e Maria Eduarda de Freitas da Silva (8º ano), obtiveram medalhas de bronze e prata respectivamente na ONC 2020. Conforme o professor doutor Emitério da Rosa Neto, as provas testaram os conhecimentos dos alunos participantes nas áreas das Ciências (Biologia, Física e Química), Astronomia e História.

“Estamos felizes com o resultado, diz o Diretor Ms. Cristiano Weber, pois quando falamos em educação, estamos englobando uma série de sujeitos, ambientes e eventos que ultrapassam a escola, o professor ou os alunos. É nesse contexto que a participação de nossos estudantes em olimpíadas proporciona oportunidades de mostrarem seus verdadeiros potenciais intelectuais, desenvolverem habilidades socioemocionais e também vivências em avaliações externas à escola”.

Amarilis diz que sua motivação para fazer a olimpíada foi para testar os conhecimentos adquiridos ao longo das aulas na disciplina de Ciências. “Foi bom ter participado e me desafiado. Quando recebi a notícia de que a escola iria participar da ONC, eu fiquei nervosa e ansiosa, pois sempre pensava em ter um lugar de destaque em meio a tantos jovens que também participam e, quando vi, tinha passado de fase. Fiquei mais motivada ainda e me dediquei ao máximo para conseguir passar dela também. Mesmo se não tivesse passado, já era um grande ganho ter chegado até ali.”.

Já Maria Eduarda conta que “foi uma experiência única que eu não esperava, foi algo totalmente novo e um sonho que se realizou. Eu estava muito nervosa porquê eu jurava que não ia passar, mas quando veio a notícia eu fiquei incrivelmente feliz. Eu sou muito grata por todo o apoio dos meus amigos, da minha família, a Deus, e principalmente à escola e aos meus professores que me apoiaram no processo. E eu gostaria de agradecer também ao professor Emitério que nos deu tanto apoio para a realização da prova.”.

“O resultado obtido pelas alunas orgulha toda a comunidade escolar. A Escola da URI trabalha junto aos alunos seu protagonismo, incentivando o compromisso, a dedicação e a consciência do que se estuda”, afirma o professor Emitério.